Fígado bovino e coração de galinha



Antes de torcer o nariz para os miúdos (como fígado e o coração são conhecidos), saiba que eles esbanjam certos nutrientes:

além de proteínas, zinco e vitaminas A, B6 e B12, a dupla carrega um tantão de ferro.

É por causa desse mineral, inclusive, que muita gente comeu fígado na infância – época em que a anemia é mais incidente.

Mas esses atrativos não justificam um consumo desenfreado dos dois alimentos.

Eles apresentam alto teor de gorduras pouco saudáveis. E, em excesso, isso eleva o risco de problemas cardiovasculares e outras doenças crônicas, em São Paulo. Segundo a expert, o ideal é colocar os miúdos no prato uma vez por semana. E só.

Tão importante quanto a moderação é a forma de preparo. “O melhor é grelhar ou assar”, diz. Mas não até o ponto de surgir aquela crosta escura – um sinal da formação de substâncias perigosas para a saúde. Abaixo, você conhece a composição dos alimentos grelhados.

ENERGIA
Coração 207 cal
Fígado 225 cal

PROTEÍNA
Fígado 29,9 g*
Coração 22,4 g

GORDURA
Fígado 9 g
Coração 12,1 g

GORDURA SATURADA
Coração 3,5 g
Fígado 4,7 g

FERRO
Coração 6,5 mg
Fígado 5,8 mg

ZINCO
Fígado 4 mg*
Coração 3,4 mg

(os valores se referem a 100 gramas dos alimentos)

PLACAR SAÚDE
Coração 3 x 3 Fígado (Empate)